Perguntas Frequentes

"50% por peso" ou "50 por cento peso" significa que a metade de certa quantidade desse produto (por exemplo, 500 g de 1 kg) é o ingrediente ativo peróxido de hidrogênio (H2O2). O restante é água com pequenas quantidades de estabilizantes.

 

As concentrações padrão, como os nossos produtos HYPROX®, costumam ser usados no branqueamento e em outros processos industriais. Esses graus contém estabilizantes em quantidade suficiente para manter a decomposição sob controle em ampla variedade de aplicações. Graus especiais para sÍntese quÍmica contém menos compostos estabilizantes, uma vez que esses poderiam interferir nas reações de síntese. Os graus destilados incluem tanto graus altamente estabilizados quanto os de alta pureza. Os graus cosméticos contém altos nÍveis de estabilizantes indicados para diluição, uso cosmético e em produtos para cuidados pessoais. OXTERIL® e PERTRONIC® são graus de alta pureza levemente estabilizados para utilização, respectivamente, em embalagens assépticas e em aplicações eletrônicas. O PERALKALI® é recomendado para os problemas mais complexos de estabilidade, incluindo a formulação de produtos a valores de pH elevados.

 

Nosso procedimento padrão para determinar a taxa de decomposição do peróxido de hidrogénio inclui manter uma amostra a 96°C por 16 horas. Uma taxa de decomposição de 5% significa que após esse tratamento, 5% da concentração original foi perdida. Assim, uma decomposição de 5% de uma amostra de 50% de peróxido resultaria em uma concentração final de 47,5%.Nosso procedimento padrão para determinar a taxa de decomposição do peróxido de hidrogénio inclui manter uma amostra a 96°C por 16 horas. Uma taxa de decomposição de 5% significa que após esse tratamento, 5% da concentração original foi perdida. Assim, uma decomposição de 5% de uma amostra de 50% de peróxido resultaria em uma concentração final de 47,5%.

 

Em geral, quanto mais pura a água da diluição, melhor. Quando o peróxido de hidrogénio for armazenado ou vendido após a diluição, somente a água deionizada apresenta pureza suficiente. Quando se trata de quantidades pequenas, diluídas para consumo imediato, a  água potável encanada também é aceitável.

 

Na comparação com outros produtos quuímicos, até mesmo os graus padrão de peróxido de hidrogênio apresentam excelente pureza (> 99,9%). Isso se deve a processos de produção altamente sofisticados, que incluem etapas de purificação. Com exceção dos estabilizantes, as impurezas são comumente expressadas como carbono orgânico total, em miligramas por litro. A maioria das demais impurezas, como ânions e metais pesados, estão bem abaixo do nível de detecção padrão.

 

A pressão, que faz com que as bombonas fiquem estufadas ou vazem, assim como temperaturas elevadas são fatores que, normalmente, indicam que o peróxido está sendo submetido a uma reaçãoo de rápida decomposição. A formação de bolhas estáveis em qualquer recipiente de armazenagem indica uma condição perigosa. Os tanques de armazenamento a granel tendem a manter uma temperatura relativamente constante a menos que estejam quase vazios. Uma temperatura interna de 40°C (104°F) em um tanque indica que o peróxido pode estar se decompondo a uma taxa inaceitável; nesse caso, deve-se resfriar o tanque. Temperaturas mais altas indicam que o resfriamento é insuficiente e que o peróxido deve ser diluído e/ou descartado. Caso as temperaturas subam ainda mais rapidamente, é possível ocorrer uma decomposição catastrófica; nesse caso, deve-se evacuar imediatamente todo o pessoal para uma área segura. Essas recomendações são gerais, para serem usadas como orientação; condições específicas presentes no estabelecimento de cada cliente podem exigir outros procedimentos.

 

A vida útil do peróxido de hidrogênio da Evonik, independentemente do grau, é excelente. Se armazenado à  temperatura média de 20°C, a decomposição é inferior a 2% ao ano, baseado no peróxido de hidrogênio ativo. Uma solução de 50% terá ao menos 49% de H2O2 após um ano de armazenamento. O armazenamento a temperaturas mais altas pode acelerar a reação de decomposição; no entanto, experiências reais mostram que mesmo os graus levemente estabilizados de peróxido sofrem uma decomposição inferior a 2% ao longo de alguns anos em condições adequadas de armazenamento.

 

A principal função dos estabilizantes é reduzir a decomposição catalítica induzida por metais de transição e outros contaminantes. Se o produto for diluí­do, como no caso de soluções típicas de 3%, ou usado em formulações que possam acelerar a decomposição, o nível de estabilização deve ser mais alto. Caso seja exigido alto grau de pureza, baixos níveis de estabilizantes devem bastar. Os estabilizantes comumente usados são agentes quelantes de metal e colóides, incluindo estanatos, pirofosfatos e organofosfonatos. Os níveis dos estabilizantes variam de 0 a vá¡rios milhares de mg/l cada, dependendo do grau.

 

Não, o peróxido de hidrogênio em si não queima. No entanto, peróxido de hidrogênio acima de 60% p.p. é classificado como agente oxidante. O peróxido de hidrogênio pode causar um incêndio se entrar em contato com material combustível.

 

Os aços inoxidáveis (304L, 316L, V2A, V4A) ou o alumí­nio de alta pureza (5254, 1060) são recomendados para o armazenamento permanente ou para sistemas de entrega. O polietileno (PE, PEAD) também é adequado ao serviço, com certas limitações. O PVC é recomendado para uso temporário (menos de 2 meses). Os materiais adequados para juntas de vedação são: Teflon, Viton, EPDM e Gylon.

 

Catalase é uma enzima produzida por várias plantas e animais, incluindo toda bactéria aeróbica, diversos anaeróbicos facultativos e fungos, que promove a rápida decomposição do peróxido de hidrogênio em oxigênio e água. Quando presente em águas de processo que contêm peróxido de hidrogênio, a enzima é mais ativa entre 21 a 38°C (70 a 110°F), mas é desativada após dez minutos a 77°C (170°F). Concentrações de peróxido de hidrogênio de 10 a 300 ppm, sob as condições de temperatura certas, com a presença de bactéria, servirão para promover a produção de catalase (defesas bacterianas produzem catalase na presença de peróxido). Concentrações de peróxido de 400 ppm ou mais inibem a atividade da catalase.

 

O descarte deve sempre ser realizado de acordo com os regulamentos locais, estaduais e federais aplicáveis. Dependendo da concentração, algumas soluções de peróxido são classificadas como oxidantes e/ou corrosivos, tanto em termos de pH quanto de corrosividade. Se esse for o caso, pode-se solicitar autorização para tratar o peróxido, tendo em vista a disposição posterior segura.

Alguns sistemas on site de tratamento biológico de resí­duos podem facilmente tolerar ní­veis de até 100 ppm de peróxido de hidrogênio e, em alguns casos, a adição de peróxido pode aumentar a aeração dos sistemas. Esse processo é acelerado pela presença de metais de transição, bactérias, catalase e pH alcalino. Convém, no entanto, observar que, em virtude da decomposição natural em alguns casos pouco comuns, pode-se formar oxigênio dentro de dutos e recipientes, criando um potencial para misturas explosivas com metano ou outros gases combustíveis.

 

As nossas Fichas de Segurançaa de Produtos Quí­micos estão de acordo com os padrões internacionais, incluindo informações sobre o produto, sua classificação, propriedades, dados toxicológicos, bem como as precauções de segurança recomendadas, os procedimentos de primeiros socorros e detalhes acerca da legislação aplicá¡vel. Elas estão disponí­veis em diversos idiomas.

 

A Evonik só fornece o produto caso os locais de armazenamento a granel tenham sido aprovados. Diversos fatores devem ser levados em conta, incluindo os materiais apropriados de construção, equipamento emergencial adequado (lava-olhos, chuveiros de segurança, fontes de água, etc.) e a inclusão de outras características como, por exemplo, boca de visita. O tamanho das bocas de visita geralmente segue as diretrizes de 200 cm2 por 1.000 kg de capacidade de peróxido (como 100%). Recomendamos que todos os tanques incluam sensores de temperatura.

 

Os pontos mais importantes são: material de construção adequado, uso de válvulas aprovadas para o manuseio de peróxido de hidrogênio e não incluir qualquer duto ou equipamento que não possua respiros ou que não esteja de outro modo protegido contra a formação de pressão em consequência da decomposição do peróxido. Os dutos externos podem ser pintados de branco a fim de evitar a formação desnecessária de pressão e a descarga resultante, através dos dispositivos de liberação de pressão.

 

Dependendo dos requisitos de fluxo, diferentes bombas são aceitáveis (engrenagem, diafragma, peristáltica). Os fluidos e materiais do diafragma, em todo o perímetro da bomba, devem ser compatí­veis com peróxido de hidrogênio.

 

Caso necessite de informações mais detalhadas sobre os nossos produtos ou sobre aplicações especí­ficas, entre em contato conosco diretamente.